e

Como funciona?

Kit surpresa
Todos os meses enviamos para o seu endereço um kit surpresa com livro, brinde exclusivo, um marca páginas e uma revistinha com a resenha do curador do mês.
mensalidade
Pagamento mensal automático de R$ 69,90 com frete grátis.
fora da caixa
Explore temas universais e atuais com o material cuidadosamente escolhido por nós.
b

O que vem no kit?

Junto com o livro indicado pelo curador do mês, os assinantes da Panaceia também recebem revista com informações sobre o título, marcador de página exclusivo e brinde!

Curadores

Wagner Moura

O soteropolitano Wagner Maniçoba de Moura não veio ao mundo a passeio: ator, diretor e jornalista, já fez teatro, novela, série, minissérie e cinema. Foi mocinho, galã, comediante, só um cara sem sorte, capitão, vilão, o mais procurado, indicado ao Globo de Ouro e o dono da p**** toda.

Entre se corromper, se omitir ou ir para a guerra, escolheu suas armas e teve o (des)prazer de estar dos dois lados da lei. Descobriu, a duras penas, que a corrupção é algo intrínseco, que vai muito além da caveira, e que se do pó viemos, a ele retornaremos por bem ou por mal.

Judith Butler

Ph.D. em filosofia pela Universidade de Yale e professora de Retórica e Literatura Comparada na Universidade de Berkley, a estadunidense Judith Butler é a voz mais relevante quando o assunto são os padrões normativos de gênero dentro do feminismo.

Lançou uma bomba de glitter em forma de livro - Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade - que espalhou verdades multicoloridas para os 4 cantos do mundo, apresentou a teoria queer à sociedade e colocou a identidade de gênero para brilhar na pista de dança. Recentemente, virou a mulher que uma parcela dos brasileiros amavam odiar. Com muito orgulho, ao que parece.

Laerte Coutinho

A paulistana Laerte é cartunista, ilustradora, roteirista, mãe dos Piratas do Tietê e uma das mais importantes chargistas brasileiras de todos os tempos. Faz tirinhas para a Folha de S.Paulo há quase 30 anos.

Uma das personalidades mais expressivas na causa pelos direitos civis LGBTQ, Laerte mudou o rumo da sua história, protagonizou um irresistível documentário e tornou-se verbo, literalmente.

Maria Rita Kehl

A campineira Maria Rita é nada mais, nada menos que doutora em psicanálise, mestra em psicologia social, jornalista, ensaísta, poetisa, cronista, crítica literária e autora de 9 livros, entre eles O tempo e o cão, premiado como livro do ano na categoria não-ficção no Jabuti de 2010.

Mão forte da imprensa alternativa na época da ditadura, tem uma estante tão grande quanto seu coração para guardar vitórias como o prêmio Direitos Humanos, recebido em 2010, e o prêmio João Canuto, concedido pelo MHuD em 2013, por seus feitos na Comissão da Verdade.

Drauzio Varella

O paulistano Drauzio Varella é médico oncologista, cientista, escritor, fundador de universidade, autor de mais de 10 livros, pioneiro nas pesquisas sobre o tratamento da AIDS no Brasil e ganhador de um Jabuti. Viveu histórias que dariam filmes e tem filme sobre suas histórias.

Profundo conhecedor da fisiologia humana, Drauzio é - sem sombra de dúvidas - o médico mais querido e amado entre os brasileiros e um dos únicos a encontrar soluções que vão da perda de fôlego repentinas a corações partidos.

Celso Amorim

O santista Celso Luiz Nunes Amorim é diplomata e escritor. Chanceler de Itamar Franco, foi ministro das Relações Exteriores de Lula e ministro da Defesa de Dilma Roussef, além de ter representado o Brasil na ONU, em Nova York, e na Organização Mundial do Comércio, em Genebra.

Apontado pela Foreing Policy, bíblia do pensamento diplomático, como o melhor chanceler em atividade (durante o governo Lula), foi responsável por uma política externa independente e ativa. Sob sua orientação, o Brasil aprofundou as relações com os países dos Brics e da África e aumentou sua influência na geopolítica.

Jessé de Souza

Potiguar e Jabuti de 2017, por A radiografia do golpe: Entenda como e por que você foi enganado, Jessé de Souza é professor, pesquisador e sociólogo doutorado pela pública e prestigiada Universidade de Heidelberg Ruprecht Karl, na Alemanha.

Autor de 27 livros e presidente do IPEA até 2016, integra a atual liga dos (anti-)heróis brasileiros: suando a armadura no confronto com Sérgio Buarque de Holanda, buscando o antídoto para nossa crise de ideias e lutando contra a imbecilização social, enquanto encara a missão-quase-impossível de explicar o Brasil.

David Harvey

Não se deixe enganar pela pinta de bom velhinho: David Harvey é um furacão. Sem medo nem receio de expor suas ideias ao público, seja na forma de artigos, livros, palestras ou aulas, a geografia e os estudos políticos e marxistas nunca mais foram os mesmos desde o encontro com o autor de “17 Contradições e o Fim do Capitalismo”. Com anos e anos de experiência lecionando e escrevendo sobre teorias sociais, planejamento urbano, movimentos ecológicos e a atualidade dos escritos de Karl Marx, ele é hoje um dos mais influentes marxistas, reconhecido pelos quatro cantos do mundo por sua capacidade de enxergar o futuro a partir de estudos passados. Nós garantimos: nada nem ninguém poderá passar isento por David Harvey.

Luiz Carlos Bresser-Pereira

Luiz Carlos Bresser-Pereira é um insider, um buraco na fechadura que oferece um ponto de clareza sobre o que parece, em tempos de crise, pura névoa. São poucos os que conseguem apelar a temas tão ásperos como quem tem a experiência direta de anos e ministérios combinados aos estudos e à academia. Mesmo que economia não seja a praia de muita gente, mesmo a quem as discussões numéricas e políticas pareçam arrepiantes e incompreensíveis, nas mãos de Bresser-Pereira tudo passa a fazer sentido.

Luiz Eduardo Soares

Conhecido mundialmente como o autor de “Elite da Tropa” e “Cabeça de Porco”, Luiz Eduardo Soares é uma autoridade em segurança no Brasil. Cada vez mais suas posições críticas às políticas de segurança pública tomam a mídia, mostrando a relevância e urgência de seu trabalho não só como agente, mas também pela disseminação do tema por meio do cinema e da literatura. Nascido na década de 1950 em Nova Friburgo, ele é Doutor em ciência política e pós-doutor em filosofia política e já atuou como subsecretário de Segurança Pública e coordenador de Segurança, Justiça, Defesa Civil e Cidadania do Estado do Rio de Janeiro. Sua chegada à Panaceia representa a certeza de um debate embasado sobre temas pungentes aos dias de hoje!

Hermano Vianna

Antropólogo de formação, o paraibano Hermano Vianna é uma dessas figuras que transita pelos campos mais interessantes que convivem dentro das ciências humanas. Gosta de música, cinema, televisão, tecnologia e comunicação? Ele também.Com as muitas tramas que seus estudos espalharam, ele é produtor, crítico e jornalista especializado em novas tecnologias da informação e vem usando toda essa bagagem para expandir e encorpar a discussão acerca da música e da comunicação. Foi a articulação desses conhecimentos que permitiu a ele uma visão bastante inovadora sobre as relações entre o popular urbano, periferias e favelas, e as possibilidades de criação que convivem dentro do mundo da tecnologia.O currículo de Hermano Vianna é denso e faz jus ao reconhecimento que vem recebendo desde os anos de 1980.

Patricia Hill Collins

A filósofa, socióloga e acadêmica que revolucionou os estudos da sociologia com sua pesquisa, sem se limitar ao discurso, já que sua obra inspira e empodera muitas mulheres de forma pragmática por todo o mundo, Patricia Hill Collins, é referência na discussão sobre feminismo e gênero da comunidade afro-americana.
Hill torna-se protagonista na história da luta pelos direitos e visibilidade das mulheres negras após lançar seu livro “Black Feminist Thought: Knowledge, Consciousness and the Politics of Empowerment", em 1990, e seguiu trilhando um caminho de conquistas. Patrícia é a primeira presidenta afro-americana da Associação Americana de Sociologia (ASA) e ocupa o cargo de docente em uma das mais renomadas instituições de Sociologia da Universidade de Maryland, College Park, nos Estado Unidos.

Tulipa Ruiz

A paulista com pezinho lá em Minas cresceu sob influência da música. Na adolescência trabalhou em uma loja de discos e, quando mudou-se para São Paulo, foi convidada a fazer parte de diversas bandas. Na sua trajetória, Tulipa iniciou um projeto solo, ganhou um Grammy Latino e até ilustrou um livro infantil, projeto em conjunto com cantor pernambucano China chamado Carlos Viaja.

Marina Person

Filha do cineasta paulista Sérgio Person, e da fotógrafa Regina Jeha, Marina Person sempre foi fiel às câmeras. Em 2007 dirigiu o documentário “Person”, remontando a vida do pai, figura central do cinema paulista, e levando-a um passo adiante na carreira. Foi apresentadora do “MTV Movie Awards” e de vários outros programas da emissora entre 1995 e 2011. Hoje é sócia-diretora da Mira Filmes, além de conduzir o canal de culinária "Marinando", que conta com mais de 60 mil inscritos no YouTube.

FAÇA PARTE

Nossas indicações para você

{* betalabs.commerce *}